O QUE SIGNIFICAM OS EVENTOS CLIMÁTICOS CATASTRÓFICOS


Em uma semana [Setembro de 2017] a comunidade internacional foi surpreendida com:
- um terremoto de magnitude 8.0 no México
- três furacões em sequência
- risco de Tsunami na América Central

“O papa Francisco citou a Bíblia para fazer duras críticas a líderes mundiais que se recusam a levar a sério as ameaças das mudanças climáticas.
O pontífice disse que os recentes furacões Harvey e Irma mostraram que os efeitos das mudanças climáticas podem ser vistas "com seus próprios olhos".
"Quem nega as mudanças climáticas tem de perguntar aos cientistas. Eles são claros e precisos", assinalou o líder da Igreja Católica” BBC

Mas a interpretação de Mario Bergólio sobre o Meio Ambiente e sobre as Escrituras, estão mais uma vez equivocadas. Deus sempre usou os fenômenos da natureza como 'sinais' para chamar a atenção da humanidade.

No último livro da Lei [Deuteronômio] o capítulo 28 é famoso por descrever as Bençãos da obediência e as Maldições da desobediência. Uma das bênçãos na obediência é – “O Senhor abrirá... o céu para dar chuva”; a maldição em desobedecer seria – “os céus sobre a tua cabeça serão bronze; e a terra debaixo de ti será de ferro. Por chuva, o Senhor te dará pó e cinza”. Dt 28:23 e 24.

A história bíblica mais clássica dos eventos naturais como sinais Divinos é a história do Dilúvio – “não poupou o mundo antigo... quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de impíos” 2Pd 2:5.

O livro do Salmos descrevendo a grandiosidade de Deus o coloca como Senhor da natureza usando algumas figuras:
18.7 a terra se balou e tremeu, vacilaram também os fundamentos dos montes e se estremeceram, porque Ele se indignou
97.5 derretem-se como cera os montes na presença do Senhor
 104:3  tomas as nuvens por Teu carro e voas nas asas do vento
104.4 Faze aos Teus anjos ventos e a teus ministros, labaredas de fogo
144.5 O Senhor... toca os montes e fumegarão

A seca foi utilizada por Deus na época do profeta Elias como alerta sobre a apostasia do rei Acabe [1Rs 17:1].

No Sermão Profético em Mateus 24, Jesus usa os sinais da natureza como marcador de tempo sobre o Fim do Mundo:
v7 Haverá fomes e terremotos em vários lugares.
v29  o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu, e os poderes celestesserão abalados
Lc 21.25 Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações estarão em angústia e perplexidade com o bramido e a agitação do mar.

O Apocalipse também usa marcadores da natureza para eventos escatológicos do Fim:
6:12 sobreveio grande terrmeto. O sol se tornou negro... a lua como sangue.
8:5 E houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto
11:13 Naquela hora houve grande terremoto e ruiu a decima parte da cidade
11:19 sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada
16:18 ocorreu grande terremoto, relâmpagos, vozes e trovões

O Apocalipse apresenta as suas revelações em grupos de 7 Visões:
Sete Cartas
Sete Selos
Sete Trovões
Sete Trombetas
Sete Pragas

Das Sete Pragas, as três primeiras parecem estar relacionadas simbolicamente a eventos climáticos da natureza: Leia aqui.

Mas é a série de Sete Trovões [Ap 10.4], que apesar de não terem sido reveladas, que nos sugere pela imagística usada, estarem relacionadas com eventos climáticos da natureza. Os trovões são mencionados 8x no Apocalipse; sendo três delas nesta série que ficou oculta aos humanos. Talvez essa série não revelada, descrevesse os eventos climáticos que são tão frequentes em nossos dias.

Em Apocalipse 7 uma profecia descreve Anjos segurando ventos:
"Depois disso vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, retendo os quatro ventos, para impedir que qualquer vento soprasse na terra, no mar ou em qualquer árvore." v1
Essa profecia é simbólica e você poder ver a sua interpretação aqui.

Mas essa profecia do capítulo 7 esta relacionada com o Espírito Santo; o Anjo que dialoga na cena profética diz "até que selemos nas testas os servos do nosso deus" v3.

O Selamento é um evento espiritual que ocorre antes da Segunda Vinda e prepara os cristãos para serem arrebatados. Finalizando essa obra o Espírito Santo se retira da Terra e os Anjos não tetêm mais os ventos.

O que estamos testemunhando hoje no planeta é a finalização da obra do Espírito Santo em nosso meio; o Consolador será retirado e grandes eventos catastróficos estão por acontecer.

"O refreador Espírito de Deus está mesmo agora sendo retirado do mundo.
Furacões, tormentas, tempestades, incêndios e inundações, desastres em terra e mar, seguem-se um ao outro em rápida seqüência.
A ciência busca a explicação para tudo isso.  Os sinais que em torno de nós se avolumam, prenunciando a próxima manifestação do Filho de Deus, são atribuídos a outra causa que não a verdadeira.
Os homens não discernem as sentinelas angélicas que retêm os quatro ventos para que não soprem até que os filhos de Deus estejam selados; mas quando Deus mandar que Seus anjos soltem os ventos, haverá uma cena tal de luta que pena nenhuma pode descrever."_ {Testemunhos Seletos, vol 3, pág. 6.4}.

Deus está falando através da natureza; você consegue ouvir?

TERCEIRA GUERRA MUNDIAL OU GUERRA NUCLEAR


"O último teste nuclear anunciado pela Coreia do Norte no domingo passado voltou a alarmar não apenas Washington mas também países vizinhos na Ásia.


Depois de os norte-coreanos terem anunciado que acionaram uma bomba que, segundo a mídia oficial de Pyongyang, seria de hidrogênio e poderia ser transportada por um míssil de longo alcance." [BBC]

Estamos diante da Terceira Guerra Mundial?

As guerras foram sinais destacados por Jesus em seu Sermão Profético como previsões para o Fim do Mundo; mas Jesus claramente indica que não seriam as guerras nucleares que colocariam fim neste planeta.

No discurso de Jesus em Mateus 24, Ele usa algumas expressões que nos ajudam a entender isso:

1. "ainda não é o fim" v6

2. "é o princípio das dores" v8

3. "até o fim" v13

4. "então virá o fim" v14

A primeira expressão - "ainda não é o fim" v6 - é usada depois dos sinais onde a guerra está incluída:

Primeiros Sinais:
1. Falsos Cristos v5
2. Guerras v6
3. Rumores de Guerras 

Após Jesus relatar esses três primeiros sinais, Ele garante que "ainda não é o fim" e encoraja aos Cristãos - "não vos assusteis, é necessário assim acontecer".

Essa certeza de Jesus deve trazer Paz ao coração dos cristãos; o mundo não terá o seu fim com as guerras, mesmo que sejam eventos nucleares.

A expressão "é necessário assim acontecer" indica que Deus tem um propósito ao permitir que as nações se envolvam na guerra. Desta forma Deus pode derrubar os regimes totalitários que resistem a entrada do Evangelho em algumas nações [Leia aqui]

Provavelmente não teremos uma Terceira Guerra Mundial; o mundo da 1a e 2a Guerra mundial estava polarizado entre o ocidente e oriente e depois entre capitalismo e nazismo. Hoje o atual cenário é de uma coalizão capitalista; e do outro lado um pequeno país, como a Coréia do Norte, fazendo ameaças isoladamente, e que possui um exército pequeno.

Outros Sinais:
4. Nação contra Nação
5. Reino contra Reino
6. Fomes
7. Terremotos

Após esses outros quatro sinais, Jesus ainda afirma que "é o princípio das dores"; ou seja, este é o início da desconstrução que Deus irá aplicar sobre as nações deste planeta.

Deus em Sua Soberania articula as nações para cumprir Seu propósito final, mas as coisas que temos visto, são apenas o início de tudo.

Mais Sinais:
8. Vocês serão atribulados
9. Matarão vocês
10. Vocês serão odiados
11. Muitos vão se escandalizar
12. Traição e Ódio 
13. Falsos Profetas
14. Muitas pessoas enganadas
15. Multiplicação da iniquidade
16. O Amor se esfriará

A expressão "aquele que perseverar até o fim" indica que esses nove sinais antecedem o fim, mas não seria fim do planeta ainda.

Esse parece ser o período mais intenso antes do Fim do Mundo; nove sinais terríveis antecedem a "consumação do século" e a Segunda Vinda de Jesus [Mt 24.3up].

Esses nove sinais são considerados sinais do mundo religioso; as profecias do Apocalipse [A Grande Meretriz Ap 17 e a Grande Babilônia Ap 18] indicam também que os últimos sinais seriam entre os cristãos.

O décimo sétimo sinal [Mt 24.14] sim, seria o contexto do fim de todas as coisas, de acordo com Jesus.

Se as guerras não são o fim; estaríamos diante de uma Guerra Nuclear?
As evidências apontam que sim; os constantes testes de Kim Jong-un já demosntraram que a Coréia do Norte possui um arsenal atômico, mas deve ser muito limitado em vista do arsenal das demais nações. 

"Hoje, há cinco potências nucleares declaradas: Reino Unido, França, Estados Unidos, China e Rússia. Elas desenvolveram seus arsenais após a Segunda Guerra Mundial - que viu a demonstração do poder destrutivo das bombas atômicas, lançadas pelos americanos sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. A China foi a última a entrar no clube, em meados dos anos 1960." [BBC]

Mas certamente estamos diante de uma ameaça nuclear, principalmente para os países da Coréia do Sul, Japão e EUA. Esses são os inimigos mais diretos de Kim Jong-un; se as bombas estiverem mesmo lá, talvez vejamos mais uma vez eventos nucleares contra esses países.

Em 2003 o Iraque também foi invadido sob a suposta ameaça de armas nucleares, e no decorrer da interferência militar, não foi encontrado nenhum arsenal nuclear.

A certeza do cristão deve repousar nas profecias de Jesus, que garantiram a nós que "ainda não é o fim". 

Que a Paz do Senhor Jesus esteja com todos.

JESUS E O SINAL DO ECLIPSE SOLAR


O Eclipse Total que ocorreu nesta segunda [21.08.17] nos EUA foi o evento astronômico mais fotografado e divulgado nas redes sociais de todos os tempos.

As redes sociais publicaram fotos, memes, e até provocaram uma Hashtag sobre o 'fim do mundo' [link no final do texto].

As pessoas associam esse sinal astronômico ao Fim do Mundo; isto porque no famoso Sermão Profético de Jesus, ele menciona que o Sol não daria sua luz.

"Logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as  estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados" Mateus 24.29

É evidente que Jesus não estava se referindo a um eclipse comum como o que foi visto, mesmo que fosse um eclipse total. Isto porque até 2044 haverão 18 eventos como esse.

Jesus disse: "Logo em seguida à tribulação daqueles dias" como o tempo que ocorreria o evento singular que Ele descreveu.

Essa 'tribulação' que Jesus menciona se refere ao período profético de 1260 anos, várias vezes mencionado nas profecias - Daniel 7.25; 127; Apocalipse 11.3; 12.6; e em Apocalipse 11.2 como '42 meses' e 12.14 como '1 tempo, 2 tempos e metade de um tempo' - todos esses períodos proféticos se referem a tribulação que duraria 1260 dias/anos [um dia profético = um ano / Números 14.34 e Ezequiel 4.6].

Esse período foi o período em que o papado atuou na Europa como poder político-religioso e provocou uma 'tribulação' aos crentes que não concordavam com as resoluções da igreja da Idade Média Baixa e Idade Média Alta.

Os crentes foram perseguidos e mortos no período de 538 a 1798, e foi esta a 'tribulação daqueles dias' que Jesus referenciou como sendo ao período profético próximo ao evento que o 'sol escureceria'.


Próximo a esse período de 1798, o escurecimento do sol que ficou registrado na imprensa da época foi o evento chamado como 'Dark Day' ; a Universidade de Stamford tem em seu site um documento da época.

O Dia Escuro do Hemisfério Norte durou quase 12 horas e foi acompanhado do 'escurecimento da Lua´ também.

O evento que aconteceu em 19 de Maio de 1780 não foi um simples eclipse total, mas um evento sobrenatural que marca profeticamente o cumprimento do sinal deixado por Jesus.

Cada Eclipse anuncia a Segunda Vinda de Jesus. O grande evento do 'dia escuro' predito por Jesus, tinha esse objetivo - referenciar os sinais astronômicos.

A agitação das redes sociais e a reação das pessoas na América do Norte pode ser vista como algo mais que um evento compartilhado, mas um ação sobrenatural nas pessoas sobre o 'fim' de todas as coisas.

As redes sociais espalham os temores do próprio povo; seja por ridicularização do fim do mundo ou por admiração do evento astronômico, o certo é que a população do planeta percebe que algo está para acontecer - e vai acontecer.
Prepare-se.


Fim do Mundo no Twitter

A GUERRA ENTRE EUA E CORÉIA SERIA O FIM


"Atualmente, acredita-se que a Coreia do Norte tenha mais de mil mísseis de capacidades distintas, incluindo os de longo alcance - que poderiam supostamente alcançar os Estados Unidos.

O programa de armas de Pyongyang teve grandes progressos nas últimas décadas - do foguete tático de artilharia em 1960 e 1970 aos mísseis balísticos de curto e longo alcance nas décadas de 1980 e 1990. E agora, um sistema de maior alcance está sendo pesquisado e desenvolvido. Mas o presidente americano Donald Trump disse que isso não acontecerá, e aumentou a pressão sobre o país asiático."
Fonte: BBC

Quando imaginamos que o planeta esta livre dos riscos nucleares, surge uma nova guerra com riscos reais de armamentos nucleares. Apesar dos EUA ter atacado a Síria com uma 'bomba não-nuclear' muito poderosa, a preocupação sobre o arsenal norte-coreano é que deixa o planeta sobre risco.

Mas os nossos medos tem uma linha muito real de limite. A linha da previsão profética.

Jesus, o maior de todos os profetas e Deus-Encarnado, já traçou o limite dessa linha afirmando - "ouvireis falar de guerras e rumores de guerras, mas não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim" Mateus 24.6

"ouvireis falar de guerras" - Jesus deixou claro sobre a realidade desse planeta e a existência de guerras, mas Ele também deixou dois motivos para não termos medo:

"não vos assusteis" - Um dos nomes de Deus no Antigo Testamento é "Senhor dos Exércitos". As guerras não deveriam preocupar os cristãos. Se você estudar os 12 sinais deixados em Mateus 24, você verá que os últimos sinais que deveriam nos preocupar, estão no meio religioso.

"é necessário" - Deus usa os governantes deste mundo em uma partida de xadrez no tablado profético da história humana. A Coréia do Norte é o único país 'não aberto' ao Evangelho, e certamente o regime comunista irá cair e ser aberto ao capitalismo, mas também ao Evangelho de Jesus Cristo. Os EUA como a Segunda Besta de Apocalipse cumpre os propósitos de Deus neste planeta. E um desses propósitos é tirar a força das nações que resistem ao Evangelho. Cuba esteve fechada por mais de 50 anos, mas acabou sendo aberta sem a necessidade da guerra.

"ainda não é o fim" - Apesar da guerra ser algo tremendamente impactante aos humanos, Jesus afirma que não será por meio dela que virá o fim.

O fim de todas as coisas virá dentro do contexto dos versos 12-14 de Mateus 24. Os eventos que são descritos ali estão mais relacionados a questões espirituais do que a políticos, armamentísticos ou conspiradores.

"Quem lê, entenda" Mateus 24.15.

MARIO BERGÓLIO ADMITE OS PECADOS DO VATICANO


“O papa Francisco admitiu que existe corrupção no Vaticano (...) “Existe corrupção no Vaticano, mas eu estou em paz”, disse o líder católico em 25 de novembro de 2016, durante um encontro com representantes de ordens religiosas, e cujos detalhes foram narrados pelo padre Antonio Spadaro na nova edição da revista “La Civiltà Cattolica”.

 “Nas congregações gerais antes do conclave que me elegeu, falavam dos problemas do Vaticano e todos queriam reformas”, disse.

Questionado sobre os escândalos de abusos sexuais dentro da Igreja Católica, o Papa disse que a “disseminação dos abusos é devastante”, mas que o caso precisa ser visto como uma “doença”.

 No início da semana, uma comissão criada pelo governo da Austrália divulgou um relatório inédito sobre casos de pedofilia no país que aponta que 7% dos sacerdotes católicos locais foram acusados de abusos desde os anos 1950. O Vaticano, que possui regulamentações próprias e leis internas para lidar contra a pedofilia e a corrupção, também já foi citado pelas Nações Unidas a prestar esclarecimentos. Em setembro de 2016, a Santa Sé aderiu à convenção da ONU contra a corrupção”. [Fonte: Isto É]

Essa é uma evidência do chamado que Deus faz aos crentes sinceros para saírem do meio do Catolicismo. A profecia faz esse chamado: “Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos; porque seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou” Apocalipse 18.4 e 5.

Mario Bergólio admite os pecados da sua igreja, a profecia afirma que os crentes devem sair dela, mas os crentes católicos não percebem por onde Deus esta conduzindo e o que Deus espera dos crentes.


A profecia indica qual o pecado – “luxúria” 18.7 – os pecados sexuais e agora a corrupção desqualificam essa igreja e a colocam exatamente no quadro que o Apocalipse a retrata – “a Grande Prostituta” – uma metáfora para a ‘prostituição espiritual’ que ocorreu no vaticano.

TRUMP - O PRESBITERIANO


"Apesar de já não freqüentar regularmente uma igreja presbiteriana, Trump foi criado como Presbiteriano e ainda se considera um, dizendo: "minha religião é uma religião maravilhosa".
(Como jovem em Nova York, ele começou a frequentar a Marble Collegiate Church, congregação reformada, e nos últimos anos, ele tem sido associado com Paula White, uma pastora evangelica de uma mega-igreja, que vai rezar na sua inauguração.)

O primeiro presbiteriano a ocupar a Casa Branca foi Andrew Jackson eo último, antes de Trump, foi Ronald Reagan. Tanto Jackson quanto Reagan tinham ascendência escocesa-irlandesa. A mãe de Trump imigrou para os Estados Unidos da Escócia.


Uma pesquisa recente feita pelo Pew Research Center mostra que muitos americanos se preocupam com a fé de seus líderes. Por exemplo, metade de todos os adultos americanos dizem que é importante para um presidente compartilhar suas crenças religiosas. E mais pessoas agora dizem que há "muito pouco" discussão religiosa por seus líderes políticos (40%) do que dizer que há "muito" (27%)." Fonte: Pew Research

Na cerimônia de posse do 45o presidente dos EUA, a oração da pastora Paula White quebrou o protocolo de mais de 200 anos, dirigindo a oração cerimonial.

O último presidente presbiteriano, Ronald Reagan, foi o que mais contribuiu para a aproximação da Casa Branca com o Vaticano. Reagan e Vojtyla [João Paulo II] foram muito além derrubando o Comunismo Europeu e acabando com a Guerra Fria.

Se esta linha política-religiosa for retomada com o presbiteriano Donald Trump, logo veremos a segunda parte da profecia de Apocalipse 13.13-18 se cumprindo; onde os EUA promove o Vaticano como religião mundial e cria leis para que "a terra e seus habitantes adorem a primeira besta" v12up.

OS EUA COMO UM CORDEIRO

Embora "a Constituição dos Estados Unidos proíbe qualquer teste religioso ou exigência de cargos públicos, ainda assim, quase todos os presidentes da nação foram cristãos e muitos foram episcopais ou presbiterianos, com a maioria do resto pertencente a outras denominações proeminentes.

O novo presidente da nação, Donald Trump, certamente ajusta esse padrão. Trump é o nono principal executivo da nação a ser afiliado com uma igreja presbiteriana. Presbiterianismo tem suas raízes na Inglaterra e Escócia e tem sido ativo na América do Norte desde o século XVII."
Fonte: Pew Research

A Segunda Besta que sai da Terra "parece um cordeiro" v11up; e esta característica pode ser vista no perfil dos presidentes norte-americanos eleitos até o momento.

O principal argumento histórico para essa descrição da profecia é o pretenso caráter religioso destes presidentes. Todos os 45 presidentes eleitos, eram cristãos protestantes, com exceção do J.F. Kennedy que não era protestante, embora fosse cristão.

 
Curiosamente o único católico J.F. Kennedy foi assassinado; o que seria de um presidente católico na presidência dos EUA, a fim de promover a aproximação do Vaticano com os EUA?

Essa aproximação é o climax do papel da Segunda Besta na profecia de Apocalipse 13.12 - "faz com que a terra e seus habitantes adorem a primeira besta [Papado/Vaticano]".

Esses fatos apenas afirmam a credibilidade da profecia bíblica; o que Deus revela em Suas profecias é fidedigno.

Se a profecia afirma esse perfil da Segunda Besta [EUA] e esse perfil é real, a segunda parte da profecia que descreve esse mesmo país se aliando à Segunda Besta, também irá ocorrer.

Tudo é apenas uma questão de tempo.

O PAPA TEM AUTORIDADE PARA PERDOAR PECADOS?


“O Papa Francisco prorrogou nesta segunda-feira uma concessão feita durante o período do Jubileu da Misericórdia, anunciando que todos os padres poderão absolver de forma indefinida o "pecado do aborto", tornando permanente uma medida temporária.” Fonte: AFP

A maior e mais blasfema posição que o papado adota é a pretensão de perdoar pecados.
A profecia de Daniel descrevendo esse poder afirma que “tinha uma boca que falava com insolência” Dn 7.8

A ‘insolência’ é a falta de respeito para com Deus, o Único que pode perdoar pecados; na oração do Pai Nosso é a Deus que é dirigida a súplica – “perdoa as nossas dívidas” Mt 6.2.

De Jesus, o Deus Encarnado é dito que – “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é Fiel e Justo para nos perdoar os pecados” 1João 1.9

Em nenhum texto bíblico é encontrado a autorização para um discípulo, bispo ou diácono oferecer o perdão. Essa não é uma doutrina ou prática bíblica, mas um mandamento humano.

As pessoas que se utilizam da confissão aos padres não alcançam o perdão; estão sendo enganadas sobre o perdão de seus pecados.

A profecia de Daniel descrevendo o papado ainda acrescenta – “proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudas os tempos e a Lei” Daniel 7.25

Colocando-se no lugar de Deus em perdoar os pecados, o papa, os padres e bispos estão sobre o juízo Divino. Mudam a Palavra de Deus e pretensamente assumem a autoridade e o lugar de Deus.

Mario Bergólio em sua carta  "Misericordia et misera" (Misericórdia e piedade)  "para que nenhum obstáculo se interponha entre o pedido de reconciliação e o perdão de Deus, de agora em diante concedo a todos os sacerdotes, em razão de seu ministério, a faculdade de absolver a quem tenha procurado o pecado do aborto" Fonte: AFP

Incrível, mas Mario Bergólio dá a si mesmo a sentença, como aquele que se coloca como “obstáculo se interpondo entre o pedido de reconciliação e o perdão de Deus”.

O papa, os padres e bispos são este “obstáculo” entre o pecador e Deus. O perdão de Deus é de Graça e estendido a todos sem intercessores terrenos.

A Bíblia afirma que so há um intercessor entre Deus e o pecador – “há um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” 1Timoteo 2.5

O próprio Jesus ensinando os crentes a orar indica – “tu quando orares, entra no teu quarto, e fechando a porta, ORA A TEU PAI, que está em secreto; E TEU PAI, que vê em secreto, te perdoará” Mateus 6.6

Os padres [pai em latim] que assumem essa postura no confessório estão acumulando o juízo de Deus sobre eles mesmos.

O Apocalipse descreve as pragas sobre o Trono da Besta [Papado] – “Porque os seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela [Babilônia].” Apocalipse 18.5


De onde Mario Bergólio tirou a autoridade para perdoar pecados?

A RELAÇÃO DA CASA BRANCA COM O VATICANO


É o Antigo Testamento que determina a interpretação das 'bestas' no Apocalipse como sendo reinos ou nações. Mais especificamente, o Livro de Daniel afirma - "Os quatro grandes animais são quatro reinos" Daniel 7.17

As duas Bestas de Apocalipse 13, representam dois reinos que estariam atuando na história humana conjuntamente.

Tradicionalmente a primeira besta "que sobe do mar" Ap 13.1 é interpretada como sendo o Reino dos Papas [Papado] na Idade Média [Leia aqui]; e da mesma forma a segunda besta que "sobe da terra" Ap 13.11 é interpretada como a nação Americana, ou EUA [Leia aqui]

A profecia indica que esses dois governos, Vaticano e Casa Branca, irão atuar em uma parceria; veja as frases que indicam essa relação simbiótica.

"Exercia toda a autoridade da primeira besta" v11
"fazia a terra e seus habitantes adorar a primeira besta" v11
"foi permitido realizar sinais em nome da primeira besta" v13
"Ordenou-lhes que fizessem uma imagem em honra à besta" v14
"Foi-lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira besta" v15
"obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca" v16

A profecia indica que a segunda besta [EUA] irá operar em favor da segunda besta [Vaticano].

Desde o início do Século 20 tem sido essa a relação entre a Casa Branca e Vaticano.

Hebert Hover e Pio XII

R. Nixon e Paulo VI


Lindon Johnson e Paulo VI

Gerald Ford e Paulo VI

Jimmy Carter e J. Paulo II

R. Reagan e J. Paulo II
Nenhuma relação de presidente americano com o Vaticano foi tão bem sucedida e exerceu um poder sobre a história vigente como de Reagan e Wojtyla. Com uma ação diplomática combinada Wojtyla conseguiu derrubar o muro que separava o mundo capitalista das nações comunistas. 

Mais tarde Reagan, ainda com a influência de Wojtyla, conseguiu minar as forças politicas da antiga URSS [União Soviética] e acabar com a Guerra Fria entre os dois países.

G. H. Bush e J. Paulo II

B. Clinton e J. Paulo II

George Bush e Bento XVI

B. Obama e M. Bergólio

Foi na administração do evangélico Barack Obama que a aproximação entre protestantismo e catolicismo alcançou o seu ápice [Leia aqui]. Pastores pentecostais e evangélicos se encontraram com Mario Bergólio; e afinal o líder católico entrou no Congresso Americano [Leia aqui]

Esses não foram encontros diplomáticos mas ações coordenadas de Vaticano e Casa Branca que foram previstos na profecia de Apocalipse 13.

Como um país de origem protestante, que surgiu a partir de imigrantes europeus que fugiam da perseguição católica na alta idade média, se tornaram aliados do Vaticano?

Essa reposta se encontra no âmago da própria história do cristianismo - apostasia.

TRUMP - ELE PREENCHE OS REQUISITOS DA PROFECIA DE APOCALIPSE 13?


As suas expectativas sobre o futuro presidente norte-americano não podem estar além do que a própria profecia revela.

Embora a profecia se refira ao 'reino' ou nação propriamente, a Besta tem um 'script' profético a cumprir.

E o perfil de Trump assume esse 'script'? O 45o presidente norte-americano têm características para cumprir a profecia de Apocalipse 13?

v.11 - "parecendo cordeiro mas falava como Dragão"
A referência de 'parecer um cordeiro' é um contraste entre as outras 'bestas' [11.7 e 13.1] que são animais impuros ou selvagens.

A nação dessa besta de Ap 13.11 [parecendo cordeiro] é uma nação com princípios cristãos, protestantes e que se alinham com as raízes judaicas; vêm dai a comparação com 'cordeiro'.

Donald Trump não parece um 'cordeiro', embora seja Presbiteriano, não se pode afirmar que seja religioso [Obama tinha esse perfil]; mas Trump fala como um dragão.

Embora essas características sejam da nação propriamente, a impetuosidade de Trump pode levar a uma radicalização contra as minorias, onde o 'remanescente' [Ap 14.12] está incluído.

v.12 - "exerce toda a autoridade da primeira besta"
A 'primeira besta' [de Ap 13] é tradicionalmente interpretada como o papado. Os EUA, de acordo com a profecia, irá se comportar como o papado medieval.

Os papas exerceram sua autoridade através da perseguição e martírio dos cristãos. Ou seja, a América em algum momento será abusiva também com os cristãos; e só o tempo irá dizer se Trump assumirá esse papel de oprimir as minorias [como já ameaçou] e radicalizar contra estas.

v12 - "faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta"
Esta é a principal característica na profecia que irá desencadear os demais eventos anunciados.

Trump precisa dar continuidade ao processo de união entre Casa Branca e Vaticano que tem caracterizado as relações entre os dois estados [Leia aqui]

E ainda mais, precisa levar o mundo inteiro a 'adorar' através do sistema católico. Isto seria uma promoção, valorização e divulgação da religião romana. Nisto consiste 'fazer com que a terra e seus habitantes adorem ao papado'; seguindo o formato de adoração católica, estarão os habitantes 'adorando a besta' ou ao papado.

Trump irá promover o Vaticano e a religião católica romana na América?

Mas vale a pena relembrar que Mario Bergólio foi recebido no congresso americano em 2015 [Leia aqui] e essa promoção e aliança entre as 'duas bestas' não é papel exclusivo do presidente, mas da nação toda e do congresso.

v13 - "opera grande sinais"
Nem todas as indicações da profecia podem ser cumpridas através da figura do líder político desta nação; essa particularidade de 'operar sinais' se dá através do sistema religioso da nação norte-americana - o protestantismo apostatado.

O "fogo do céu que faz descer sobre a terra" é interpretado com o auxílio do AT; essa é uma imagística retirada de uma cena dos profetas de Israel, onde Elias no Monte Carmelo faz descer fogo do céu para provar a veracidade de Yahweh diante dos profetas de Baal.

Mas o protestantismo americano se faz 'falso profeta' quando apoia o papado, e não assume a Lei de Deus na sua pregação.

O movimento pentecostal iniciado nos EUA é interpretado como tendo especialmente essas características proféticas - "faz descer fogo do céu - através do ensinos pentecostais sobre o Espírito Santo. As manifestações bizarras [que não são descritas na Bíblia] no 'batismo do Espírito Santo' [rolar, pular, gritar, girar] que os crentes exibem, os sinais que são feitos e os cultos fora do padrão bíblico [1Cor.14.26-28] todas essas particularidades fazem do protestantismo apostatado e do pentecostalismo americano o falso profeta que "opera grandes sinais".

v14 - "seduz os que habitam sobre a terra"
A cultura, política, filosofia de vida e o 'American Dream' fazem parte da 'sedução' imposta por esta nação/besta.

Trump promete tornar a América grande novamente; e isso implica na superioridade desta nação sobre as demais. Os EUA sempre irão vender às demais nações mais do que produtos, mas também sonhos, ideais e a própria fé.

v14 "na presença da besta"
A ação dos EUA nesta fase da profecia parece indicar uma parceria e cumplicidade, seja ela politica ou religiosa.

Trump parece mais um isolacionista do que um parceiro para o Vaticano; sua politica contra refugiados, imigrantes e estrangeiros não é compátivel com a de Mario Bergólio.

Estariam Casa Branca e Vaticano andando na mesma direção de 2017 a 2020?

 v14 - "enganava os que habitavam sobre a terra"
O contexto dessa parte da profecia quanto aos EUA, implica em fazer as demais nações se renderem às mentiras doutrinarias do papado.

Trump é um homem de negócios e do entretenimento; não é um homem religioso. 
Obama parecia ser mais religioso e mais propenso a coisas como ecumenismo e apoio diplomatico com o Vaticano.

v14 - "lhes dizia que fizessem uma imagem à besta"
A 'imagem da besta' implica em reproduzir a politica religiosa do papado medieval. Através da perseguição,religiosa e martírio dos crentes, isso poderia ser feito.

Trump deuxou claro que irá trabalhar para fazer a América grande novamente; não parece se importar com as outras nações ou com o Vaticano.

Somente o tempo e suas relações com Mario Bergolio poderiam revelar como a 'imagem' do papado medieval poderia ser incentivado pelo governo de Trump.

v15 - "fazer com que fossem mortos todos que se recusassem a adorar a besta"
A intolerância chegará a tal ponto que um 'decreto de morte' é previsto pela profecia.

A profecia determina o roteiro da história e dos eventos finais; não se trata de determinismo mas de antecipação ou previsão do futuro - e só Deus pode fazer isto.

Trump é intolerante com os imigrantes, refugiados e não-americanos. Nisto o perfil de Trump cumpre o 'script' da profecia.

Mas o perfil de Mario Bergólio é de tolerância; mas essa tolerância irá apenas até onde as nações, povos e denominações admitirem sua autoridade. Quando uma minoria [conceito de remanescente] discordar ou não se alinhar com os propósitos do Vaticano, a perseguição surgirá novamente.

Alianças futuras da Casa Branca e Vaticano poderão permitir que a influencia do novo presidente americano seja o apoio para Mario Bergólio estabelecer seu reinado medieval novamente.

Mas estará Trumpo disposto a dividir poder com Mario Bergólio?

v16 - "obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa,"
A imposição mundial de algo cai bem com o perfil de Trump. Ele se parece um impositor; Mario Bergólio, apesar de sua caridosa aparência, também é um impositor.

Neste aspecto - imposição - Trump e Bergólio tem a mesma natureza de liderança.

v17 - "para que ninguém pudesse comprar ou vender"
Sanções econômicas não são estranhas no mundo politico e econômico.

Sanções, embargos e decretos, como esse, tem a cara dos EUA e a cara de Trump.

Tem Donald Trump um perfil para preencher o quadro profético de Apocalipse 13?

Só o tempo poderá nos responder.

[Leia também - Trump - O Presbiteriano ]

A LEI DOMINICAL NA PROFECIA


A Lei Dominical iniciada no comercio de certas Províncias argentinas, trazem à discussão o que a Bíblia afirma sobre o domingo. O sábado é mencionado mais de 120 vezes na Bíblia; só no Novo Testamento é mencionado 53 vezes. Mas a palavra 'domingo' não aparece na Bíblia. O termo 'primeiro dia da semana' é usado, mas apenas 8 vezes e nenhum deles com a força com que o sábado é mencionado como dia santificado.

O sábado é mencionado nos Dez Mandamentos, a Lei de Deus. O domingo foi introduzido ali pelos papas, com a mudança desta Lei em dois dos mandamentos:
- o 2o mandamento foi retirado [não fazer imagens de escultura ou prestar culto a elas]
- a mudança do 4o mandamento [do sábado, para o domingo]
- e a divisão do 10o mandamento em dois, já que o 2o mandamento foi excluído.

Mas o incrível deste assunto todo é que isto já estava previsto nas profecias. Em Daniel 7, o profeta prevê que surgiria um poder [ilustrado como se fosse um animal, ou besta] que atuaria para “mudar os tempos e a Lei” Daniel 7.25.

O Apocalipse também profetiza afirmando –“ faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome” Apocalipse 13. 16 e 17.

O Apocalipse ao fazer uma profecia, usa imagística e expressões do Antigo Testamento. Para entender o significado, é necessário buscar o sentido no Antigo Testamento. Isso é uma regra hermenêutica [de interpretação]; os símbolos do Apocalipse não podem ser atribuídos a qualquer coisa, ou elementos contemporâneos [chips, cartões de crédito, códigos de barra etc].

Entenda as expressões usadas nesta profecia:

“marca sobre a mão” – isso se refere à Lei de Deus, pois os judeus foram orientados que para se lembrarem da Lei, teriam de usar tiras sobre a mão [Deut.6.8 – “Atarás como sinal na tua mão e te serão por frontal entre os olhos”]. No capítulo 5 de Deuteronômio estão os 10 Mandamentos [vs7-21] e no capítulo seguinte o mandamento cultural de que deviam atar essa lei na mão e entre a testa. A ‘marca na mão direita e sobre a fonte’ que a besta impõem ao mundo é uma imitação daquilo que Deus quer fazer, mas com Sua Lei – nos selar com essa Lei.

“para que ninguém possa comprar” – esta lei virá com força de governo [seja municipal, ou governamental] mas estabelece restrições, como vimos que estão ocorrendo na província de Rosario na Argentina.

“marca” – em contraste com a besta que têm sua marca, Deus tem o seu selo. Novamente o Antigo Testamento nos esclarece que selo é este: “Eu [Yahweh] lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o SENHOR que os santifica” Ezequiel 20.12. Se o sábado é o sinal de Deus, o domingo é a marca da besta. Assim como Deus sinaliza [selamento – Apoc. 7.4; 14.1] o Seu povo, a besta vai marcar os seus adoradores, ou os que obedecem a imposição do domingo como dia santificado.

“nome, número” – novamente temos que ir ao Antigo Testamento para descobrir que número é este de “seiscentos e sessenta e seis”. Esse digito é encontrado nas riquezas de Salomão; é dito que “O peso do ouro que se trazia a Salomão cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro” 1 Reis 10.14. O ouro e a riqueza de Salomão foram os elementos que corromperam seu governo. A igreja de Jesus não é marcada pela riqueza, mas pela humildade. A igreja que se cobre de ouro é a Igreja Católica Apostólica Romana.

Uma outra aplicação é o títulos dos papas – Vicarius Fillis Dei – que em latim, se atribuindo os algarismos romanos, somam 666. Essa é uma interpretação extra-bíblica.

A imposição do domingo, ferindo o princípio bíblico da Lei de Deus, é um desafio a autoridade Divina. A profecia nos alerta sobre esse fato, e nosso dever é não obedecermos a esse tipo de lei feitos por homens e que ferem os 10 Mandamentos.

“Importa antes obedecer a Deus que aos homens” Atos 5.29.


.

LEI DOMINICAL NO PAÍS DO PAPA


A Argentina, mais precisamente a província de Rosario adotou o que se nomeia como Lei Dominical. Uma lei com poder de governo que força a guarda do domingo como dia sagrado.

O Jornal La Capital, no dia 07 de Julho, publicou a seguinte manchete: “"La ley de descanso dominical establece que con tres infracciones se puede clausurar por 10 días - El ministro de Trabajo Julio Genesini confirmó que a la tercera multa a los que no cumplan la ley se procederá a la clausura”.

Leia a notícia completa – clique aqui

O que isso significa?
A Bíblia e os Dez Mandamentos deixam claro que o dia a ser santificado é o sábado, o Sétimo Dia da semana – “Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo.Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, mas o sétimo dia é o sábado dedicado ao Senhor, o teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum” Êxodo 20.8-10.

Jesus no Novo Testamento é visto santificando esse dia – “Em Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler” Lucas 4.16.


Ao se usar a força de lei do governo para santificar outro dia, dois erros gravíssimos se cometem: 
1) Muda-se a Lei de Deus; 
2) Fere o princípio de liberdade religiosa.

Essa Lei se inicia no país de Mario Bergólio, o líder católico romano. Foi dentro da história desta igreja que houve os mais significativos movimentos contra a Lei de Deus.

Em 21 de Março de 321 dC, o Imperador Constantino, rescem convertido ao cristianismo, estabelece a guarda do domingo, com um decreto de Lei Imperial - "Que todos os juízes, e todos os habitantes da Cidade, e todos os mercadores e artífices descansem no venerável dia do Sol. Não obstante, atendam os lavradores com plena liberdade ao cultivo dos campos; visto acontecer amiúde que nenhum outro dia é tão adequado à semeadura do grão ou ao plantio da vinha; daí o não se dever deixar passar o tempo favorável concedido pelo céu." (in: Codex Justinianus, lib. 13, it. 12, par. 2.)

Hoje o mesmo se repete; os esforços dos Papas para valorizar o domingo são notórios; desde a Carta Dominis Dei, de Karol Wojtyla [João Paulo II] Leia aqui, e a mais recente de Mario Bergólio, a Laudato Si, onde o domingo é colocado como dia de comunhão para a família Leia aqui.

A questão crucial é que há um poder se opondo à Lei de Deus, e esse poder é religioso. O Apocalipse retrata esse poder com várias imagisticas na profecia - besta [cap.13]; prostituta [cap.17] e Babilônia [cap.18]. Todos eles de forma negativa.

A imposição do domingo com força de Lei é próprio do papado; fere a liberdade religiosa e fere a Lei de Deus. O Vaticano não deixou de ser o que foi na Idade Média, um poder opressor e perseguidor, que restringe a liberdade dos crentes.

Siga a Palavra de Deus, e atente para o conselho da profecia do Apocalipse - "Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus" Ap 14.12.

TERRORISMO - POR QUÊ DEUS NÃO FAZ ALGO?


Quando vemos tanta violência e pessoas sendo vitimadas e mortas, nos perguntamos - "Deus por quê atos terroristas?" Deus já nos deu essa resposta.

As Trombetas, eventos proféticos descritos no Apocalipse, foram muito parecidos com os atos terroristas que temos na atualidade.

Cada uma das Trombetas eram juízos de Deus sobre os opressores da igreja ou inimigos da Verdade, e que foram castigados por sua rebeldia.


As invasões das tribos nômades à antiga Europa no 3o e 4o Século [Visigodos, Hunos e Vândalos] foram muito violentas; o bastante para enfraquecer o maior império que já existiu, o Império Romano e por fim o derrubar.

No Apocalipse Deus dá a razão para os eventos das Trombetas - "nem assim se arrependeram das obras das suas mãos; eles não pararam de adorar os demônios e os ídolos de ouro, prata, bronze, pedra e madeira, ídolos que não podem ver, nem ouvir, nem andar. Também não se arrependeram dos seus assassinatos, das suas feitiçarias, da sua imoralidade sexual e dos seus roubos” Ap 9.20 e 21

A razão para os atos terroristas são os pecados destas nações; são castigadas por suas transgressões.
Os pecados que levaram aos juízos da 6a Trombeta são:
-adoração de demônios
-adoração de imagens
-idolatria
-assassinato
-feitiçaria
-imoralidade sexual
-roubo

As nações que sofrem os atentados terroristas deveriam se arrepender de acordo com o conselho da profecia apocalíptica - "nem assim se arrependeram das obras das suas mãos" Ap 9.20

As 3 últimas trombetas são chamadas de "Ais" [9.12] devido aos chocantes eventos que elas representam.

A França, que sofreu os últimos ataques, sempre foi conhecida por seu ceticismo, ateísmo e irreverência para com a religião. Os próprios terroristas explicam sua violência afirmando que Paris "é a "capital da abominação e da perversão" [BBC]

Assim como Átila foi o "Açoite de Deus" no passado, a profecia indica que os muçulmanos extremistas são seu açoite hoje.

Pouco antes de enviar os caldeus para destruir Jerusalém, que estava também envolvida com pecados de idolatria, violência e imoralidade, Deus lhes enviou a seguinte mensagem:

“Talvez eles escutem e cada um se converta de sua má conduta. Então eu me arrependerei e não trarei sobre eles a desgraça que estou planejando por causa do mal que eles têm praticado. Diga-lhes: Assim diz o Senhor: Se vocês não me escutarem nem seguirem a minha lei, que dei a você, e se não ouvirem as palavras dos meus servos, os profetas, os quais tenho enviado a vocês vez após vez, embora vocês não os te­nham ouvido, então farei ... desta cidade, um objeto de maldição entre todas as nações da terra” Jeremias 26.3-9.

A UNIÃO EUROPÉIA NA PROFECIA BÍBLICA


“O Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk afirmou: ‘Estamos determinados a manter nossa união como 27 (países) na Europa...  irei propor que iniciemos um período de reflexão mais ampla sobre o futuro de nossa união’.” Fonte: Folha de São Paulo

Mas a impossibilidade desta unificação está profetizada.

Na profecia de Daniel 2, da ‘estátua de metais’ os reinos estavam representados:
Cabeça de Ouro – Babilônia
Peito de Prata – Medo-Pérsia
Ventre de Bronze – Grécia
Pernas de Ferro – Roma
Pés de Barro e Ferro – Europa

Essa interpretação é bíblico-histórica, ou seja, a própria Bíblia declara a interpretação da profecia e indica o fato histórico a que se refere – “Tu [Nabucodonozor, rei de Babilônia] és a cabeça de ouro” Dn 2.38.

Se Babilônia representava o primeiro império, os reinos que a seguiram representam as demais nações no esquema de metais da estátua – Medo-pérsia, Grécia, Roma e Europa.

O 5o reino ao ser descrito na profecia, descreve a fragilidade política da Europa com suas diferentes nações - "E, como viste, o ferro estava misturado com o barro. Isso significa que se buscarão fazer alianças políticas por meio de casamentos, mas a união decorrente dessas alianças não se firmará, assim como o ferro não se mistura com o barro" Daniel 2.43 NVI.

O Profeta Daniel prevê a instabilidade desse reino tão diversificado: “Como viste, os pés e os dedos eram em parte de barro e em parte de ferro. Isso quer dizer que esse será um reino dividido, mas ainda assim terá um pouco da força do ferro, embora tenhas visto ferro misturado com barro. Assim como os dedos eram em parte de ferro e em parte de barro, também esse reino será em parte forte e em parte frágil” Dn 2.41 e 42

As partes de ‘ferro’ e ‘barro’ indicam a composição das nações em termos políticos-econômicos; ou seja, haveriam países ricos e países pobres. A própria crise da União Européria com países como Grécia e outros, indica essa fragilidade.

Os 10 dedos dos pés da estátua indicam as 10 nações que deram início ao continente Europeu após a queda do Império Romano Ocidental e Oriental. As 10 nações foram –  Germanos,  Francos, Burgundos, Suevos, Anglo-Saxões, Visigodos, Lombardos, Hérulos,  Vãndalos e Ostrogodos.

E foram estas 10 nações que originaram hoje o que conhecemos como Europa; embora a União Européia tenha estendido sua unificação à outros países não europeus, a profecia usa esse continente como referência para indicar os ‘pés da estátua’ que seriam formados por ferro e barro.
Essa instabilidade politica, econômica e militar é que caracteriza a última unificação prevista na profecia.

A única certeza que podemos ter diante desta profecia e dos fatos que ocorrem é que “existe um Deus nos céus que revela os mistérios. Ele mostrou (...) o que acontecerá nos últimos dias.” Dn 2.28

Deus tem a história do nosso planeta em total controle.

E Deus, por fim, estabelecerá o seu 'Reino Eterno' representando pela pedra que vêm, destrói a estátua, atingindo os pés de ferro e barro [Europa] e estabelecendo a 'Montanha' ou o Reino da Glória, instalado na Nova Terra - "Na época desses reis, o Deus dos céus estabelecerá um reino que jamais será destruído e que nunca será dominado por nenhum outro povo. Destruirá todos os reinos daqueles reis e os exterminará, mas esse reino durará para sempre. Esse é o significado da visão da pedra que se soltou de uma montanha, sem auxílio de mãos, pedra que esmigalhou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro. “O Deus poderoso mostrou ao rei o que acontecerá no futuro” Dn 2.44 e 45.


Tão certo como os reinos foram previstos e aconteceram, será certo a destruição dos mesmos e o estabelecimento do reino de Deus.

Creia e se prepare para este reino.

UNIFICAÇÃO DA EUROPA


“A vitória do "Brexit" – a saída do Reino Unido do bloco europeu – é um "golpe contra a Europa, um golpe contra o processo de unificação europeia", afirmou nesta sexta-feira (24.06.16) a chanceler alemã, Angela Merkel”  A decisão ficou conhecida como "Brexit", que é a junção das palavras em inglês "Britain" (Grã-Bretanha) e "exit" (saída)". Fonte: G1

Unificação – desde a Torre de Babel [Gn 11.1] essa é a tentativa humana para se unir em um grande império. Mas esta não é a vontade de Deus para a humanidade. A confusão das línguas [Gn 11.9] foi a medida Divina para colocar um fim no propósito humano de unificar o mundo.

Impérios tentaram unificar o planeta, mas Yahweh interferiu em todos; a mais famosa tentativa foi a dos babilônicos e que Deus revelou ao imperador caldeu que ele não conseguiria fazer o que pretendia, sem a intervenção Divina.

O capítulo 2 de Daniel é a revelação de Yahweh para Nabucodonosor sobre o controle Divino nos 4 impérios que surgiriam na tentativa de unir todas as civilizações.

O episódio é conhecido como o ‘sonho de Nabucodonozor’ ou da ‘estátua de metais. O rei caldeu sonha com uma das estátuas de seus deuses, mas ela [para seu horror] esta particionada, dividida em vários metais e muitos desses metais não eram nobres.

O texto sagrado é claro em afirmar que o primeiro imperador mundial soube que “existe um Deus nos céus que revela os mistérios. Ele mostrou ao rei Nabucodonosor o que acontecerá nos últimos dias” 2.11

Primariamente a profecia queria deixar claro ao imperador caldeu que ele era apenas uma peça nas mãos da divindade: “Tu és a cabeça de ouro. Depois de ti surgirá um outro reino, inferior ao teu. Em seguida surgirá um terceiro reino, reino de bronze, que governará toda a terra. Finalmente, haverá um quarto reino” vs.38-40

Só haveriam 4 reinos mundiais. E o arrogante imperador caldeu seria apenas ‘a cabeça’ ou o primeiro da fila, e o mais fraco, pois haveria um 4º reino “forte como o ferro, pois o ferro quebra e destrói tudo; e assim como o ferro despedaça tudo, também ele destruirá e quebrará todos os outros” v.40up.

Mas o rei caldeu não estava disposto a obedecer a uma Divindade de escravos hebreus – “ O rei Nabucodonosor fez uma imagem de ouro de vinte e sete metros de altura e dois metros e setenta centímetros de largura  e a ergueu na planície de Dura, na província da Babilônia” 3.1

Era uma rebelião ao plano Divino para a história politico-militar do planeta. Isso se seguiu com uma demonstração poderosa de Yahweh salvando 4 jovens escravos de um fornalha ardente, e depois transformando o imperador mundial em um animal que comia grama – 4.32

O planeta jamais estará unificado em um só império a não ser no que a visão de Daniel 2 já indicou – “Na época desses reis, o Deus dos céus estabelecerá um reino que jamais será destruído e que nunca será dominado por nenhum outro povo. Destruirá todos os reinos daqueles reis e os exterminará, mas esse reino durará para sempre. Esse é o significado da visão da pedra que se soltou de uma montanha, sem auxílio de mãos, pedra que esmigalhou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro. “O Deus poderoso mostrou ao rei o que acontecerá no futuro. O sonho é verdadeiro, e a interpretação é fiel” 2.44 e 45.

A unificação que os líderes deste mundo desejam, somente ocorrerá quando o Rei do Universo a realizar. E isso se dará na Segunda Vinda.

A ‘pedra’ da visão que destrói a estátua, é o Reino de Deus que será estabelecido por ocasião desta Segunda Vinda.


Deus já escreveu a história política deste planeta em linhas gerais; não temos o que temer.

O OITAVO REI


Em Apocalipse 17, após a descrição da Mulher montada sobre a Besta, a profecia particiona a história futura em detalhes:

Nos vs9-13 são descritos:

v9 - "as 7 cabeças" - "são sete montes" - uma referência à cidade de Roma e seus sete montes.

v10 - "são Sete reis" - a profecia mesmo dá o significado dizendo que as 'sete cebeças' são "sete reis, dos quais cinco já cairam, um existe, e o outro ainda não chegou".

v11 - "o oitavo rei" - a profecia também revela um oitavo rei e declara que "a besta... é o oitavo rei". A besta à qual a mulher meretriz esta assentada é também o oitavo rei.

v11up - "procede dos sete" - a natureza do oitavo rei é que sua origem está relacionado com os outros sete reis, ou as outras sete cabeças.

v12 - "dez reis" - outros dez reis são descritos e estão sobre as cabeças; são reis diferentes dos oito primeiros.

Os Oito Reis são descritos da seguinte forma:
"cairam cinco" - se referem aos cinco primeiros reinos:
-Egito
-Assíria
-Babilônia
-Medo-pérsia
-Grécia

"um existe" - o reino que existia no tempo do profeta João - Roma

"outro ainda não chegou" - o reino que ainda viria e surgiria a partir do 6o século - Papado

"a besta... é o 8o rei" - o reino o qual a Grande Meretriz estava assentada, ou pelo qual governará - Europa sob a jurisdição do Papa.

“Os "reis" mencionados na visão de Apocalipse 17 devem ser entendidos dentro do contexto das relações entre igreja e Estado, cuja descrição começa em Apocalipse 16, o parentese na sexta praga mostra que "três espíritos" (poder religioso global buscam o apoio dos "reis do mundo inteiro".

No capítulo 17, a visão da mulher (poder religioso) "montada" numa besta (poder político-militar) indica que a campanha dos espíritos foi bem-sucedida e que a religião conseguiu dominar o poder politico.

Por isso, a besta escarlate não exibe diademas (simbolo de poder real), pois, no contexto enfocado na visão, esse poder está nas mãos da mulher (igreja). os sete "reis" devem ser vistos como poderes temporais (ou impérios) capazes de emitir decretos contra a obediência a Deus, ao longo da história. "Reis" é uma designação costumeira para reinos ou impérios (Dn 7:17, 23).

O chamado "oitavo rei" deve ser entendido como um último poder politico da mesma natureza dos sete anteriores.

Os anteriores dão sustentação à religião falsa, ao longo da história, em sua luta contra o povo da aliança. A religião falsa, "montada" no poder dos impérios, difunde suas heresias (santidade do Sol e do domingo e imortalidade da alma, o vinho de Babilônia) desde o Egito até o fim do tempo, e persegue e mata profetas, santos e apóstolos (Ap 18:20, 24).

Assim, o 8º  rei deverá ser uma entidade de natureza politica capaz de dar sustentação à igreja falsa em seu confronto final contra o remanescente de Deus no fim do tempo.” Fonte: RA/Mar.2015; Vanderlei Dorneles; CPB.

As Sete Cabeças e os Dez Chifres são vistas em outras partes da profecia:

Os Dez Chifres [cap.17.12]:
1.  Suevos
2. Anglo-Saxões
3. Vândalos
4. Ostrogodos
5. Visigodos
6. Burgúdios 
7. Francos 
8. Alamanos
9. Lombardos
10. Hérulos
Obs. esses povos deram origem ao que hoje é a Europa e suas dezenas de nações. Os Dez Chifres representam a Europa atual.

As Sete Cabeças do Dragão [Cap.12:3]:
1. Egito
2. Assíria
3. Babilônia
4. Medo-pérsia
5. Grécia
6. Roma
7. Papado
Obs. "nas cabeças sete diademas" v3up - indicam que eram reinos ou poderes governamentais.

As Sete Cabeças da Besta que "sai do mar" [Cap.13.1]:
1. Egito
2. Assíria
3. Babilônia
4. Medo-pérsia
5. Grécia
6. Roma
7. Papado
Obs. Ainda representam os poderes anteriores que o Dragão se utilizou; o princípio destes reinos vigoram na Besta que sai do mar.

As Sete Cabeças da Besta Escarlate [17.3up]:
1. Egito
2. Assíria
3. Babilônia
4. Medo-pérsia
5. Grécia
6. Roma
7. Papado
Obs. A Besta da Grande Meretriz tem as mesmas diretrizes politicas dos reinos anteriores; por isso a referência sempre é a mesma quanto às cabeças que são comuns nas diferentes bestas ou reinos.

H1N1 - A VERDADE ATRÁS DE UMA PANDEMIA


"A Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou a atual epidemia de gripe são formas da variedade H1N1 do vírus Influenza A.

Uma doença respiratória que atinge porcos causada pelo vírus influenza tipo A, que tem diversas variantes. Algumas das mais conhecidas são a H1N1, a H2N2 e a H3N2.
O H1N1 é a mesma variedade de vírus que causa epidemias sazonais de gripe regularmente em humanos.

Mas esta última versão do H1N1 é diferente: contem material genético que é encontrado, tipicamente, em variações do vírus que afetam humanos, aves e suínos.
Vírus de gripe têm a habilidade de trocarem seus componentes genéticos entre eles, quando entram em contato próximo no mesmo hospedeiro.

Neste caso, porcos podem ter fornecido o local ideal para criar a nova variedade do vírus.

Mas apesar da variedade do vírus poder ter se originado em porcos, agora a doença é totalmente humana e pode se propagar de pessoa para pessoa através de tosse e espirros.

Surtos da enfermidade são comuns, mas raramente causam mortes nos animais.
A pandemia de gripe espanhola, iniciada em 1918 e também causada por um tipo de vírus H1N1, matou 50 milhões e infectou 40% da população mundial.


A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, afirmou que a situação atual é diferente da de 1918. A pandemia de gripe espanhola ocorreu em uma época em que os antibióticos não estavam disponíveis e quando os países passaram por graves dificuldades depois da Primeira Guerra Mundial" Fonte: BBC Brasil

A verdade sobre essa epidemia é a transgressão da Lei de Deus expressa em Levítico 11.7 e 8 - "o porco... este vos será imundo, da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver".

É a criação, o manejo e o consumo dos porcos que viabiliza a contaminação dos humanos e a propagação do vírus.

Se a Lei de Deus fosse obedecida não teríamos a gripe como doença entre os humanos; mas é a desobediência que causa a origem e propagação epidêmica.

Levítico 11 é um tratado de zoonose, ou seja orientações sobre como não se contaminar com doenças ou micro-organismos que são exclusivos aos animais ali listados.

Mas o apetite e a crueldade humana com os animais é maior do que a razão para se evitar a doença. Quando a mente não admite e pensa, o corpo padece.

Na conclusão do livro da Lei existe a promessa da obediência - "O Senhor desviará de ti toda a enfermidade; não porá sobre ti nenhuma das más doenças dos egípcios, que bem conheces" Dt 7.15